sábado, 12 de setembro de 2009

Hino aos emigrantes

Eu juro, que um dia, um desses dias quentes de Agosto, vou carregar o carro de malas, pegar nos meus dois filhos e arrancar virado a Este. Apanharei a A25 como nunca apanhei antes, seguirei os seus trilhos até Espanha. Após passar a fronteira, o destino serão os Pirenéus. Farei todo o caminho pela auto-estrada a uma velocidade média de 150 km/h. Após atravessar a terra dos touros, dos tunings, das castanholas, da paelha e dos homossexuais, chegarei ao meu destino, Francia. Uma vez lá, visitarei os meus parentes, abraçarei-me a eles como se fosse a última vez, demonstrarei saudades não só por esses entes queridos como também pela minha terra natal. Visitarei cada espaço da minha terra novamente, comentarei as mudanças feitas, criticarei o sistema contrapondo sempre que em Portugal é melhor, aliás é muito melhor. Em conversas formais ou informais, com um parente próximo ou um desconhecido utilizarei um idioma próprio, idioma baseado no Francês mas com a inclusão de palavras portuguesas e da expressão “Como se diz em França….?”. Passearei pelo país no meu Mercedes importado, comerei nos melhores restaurantes. Após 30 dias de festa, jantares com comida regional de sabor único, passeios por sítios belos junto à costa e na companhia daqueles que me são mais próximos, terei a capacidade e o altruísmo de cuspir no chão e afirmar que em Portugal é tudo muito melhor, as auto-routes, o sistema educativo, o sistema jurídico, a segurança social, mas por outro lado, omitirei que todos os dias que passo em Portugal, todos os minutos do meu trabalho árduo, onde o carro importado não existe, o jantar é uma sandes, caso haja tempo para isso, omitirei que o meu sonho é voltar a França e que no próximo verão lá estarei, cheio de saudades e dinheiro para gastar.

4 comentários:

lothlorien disse...

You rock! :D

csa disse...

Está bem visto.
Para muitas pessoas é mesmo assim.
Mas todos nós criamos os nossos espaços de sonho na nossa vida, para resistirmos ao que nos atormenta no dia-a-dia.
Não significa forçosamente que essas pessoas não amem o sítio de onde vieram.

Tari disse...

Vai pá França pah! Desde que não venhas cá nas férias fazer fila na auto-estrada em pleno mês de Agosto, está bem! :P
Na brinca...
Muito bem pensado! De acordo (como se diz em França?)
eheheheheh

Javardo I disse...

Confesso-me culpado! Nunca fui muito à bola com os franceses, primeiro porque tudo o que é partidas de futebol nomeadamente meias-finais de torneios para ver quem é o maior da aldeia, eles teimam em ganhar-nos, segundo porque os portugueses, perdão, os avec's vem para cá empatar o trânsito no Verão. Por último, é um povo que tem o seu conceito de superioridade. Contudo, a minha opinião em relação a franceses está a mudar a olhos vistos. Afinal ainda há boa gente oriunda daquela terra, pelo menos no local onde me encontro!